Pesquisa de Mercado - Minha Primeira Experiência...
Em setembro passado (mais exatamente dia 13) fui a uma agência de propaganda participar de uma pesquisa de mercado. Foi minha estréia nessa atividade, hahaha. Fui mais porque quem colabora ganha um cachezinho... eba. A reunião - que até então eu nem sabia sobre o que seria - começou por volta de 21h e foi até umas 23h15. Éramos uns sete sujeitos com idade entre 30 e 40 anos. Primeiramente, a mediadora pediu que nos apresentássemos. Depois escrevemos em um papel quais nossos últimos automóveis adquiridos e quais os motivos que nos levava àquelas compras, se ouvíamos as opiniões de amigos ou familiares, essas coisas. Tudo devidamente filmado...
 
Em seguida separamos fichas com nomes de automóveis, agrupando-os de acordo com critérios que nós mesmos escolheríamos e nomeando cada um desses grupos. Depois nos foi revelado qual carro seria lançado. Vimos diversas fotos dele e nos foi dito o que a versão Plus teria de acessórios. Teríamos então que definir em qual grupo ele se encaixaria, quanto ou por que o compraríamos e quais seriam seus principais concorrentes. Por fim, fomos à garagem do prédio para ver a versão Sedan do próprio. Demos nossas opiniões sobre o que vimos e sobre o que esperávamos do novo modelo.
 
Deu pra notar bem o quanto eu não entendo nada de carros e não nasci para isso. Se há uma característica masculina que eu não tenho - e olha que eu tenho quase todas, inclusive ser FEIO, FORTE e FORMAL, como diriam Chaves e Seu Madruga - é gostar de automóveis. Não entendo e nem quero entender disso. Quando vejo aqueles caras discutindo empolgadamente sobre o tema e dizendo que o friso do pára-lamas do carro X modelo 2003 é diferente do 2004 noto como posso me sentir um alien. Mesmo assim a experiência foi interessante, além de eu receber e ainda comer uns quitutinhos (pãezinhos de queijo, esfirrihas, Sonhos de Valsa) de graça. Ha.
Juventude, experiência e a Portuguesa

A Portuguesa está a 1 ponto de seu retorno à elite do futebol brasileiro. E isso após bater no fundo do poço ao ser rebaixada para a Segundona do Paulistão e quaaase cair para a Terceira do Brasileiro no ano passado. Mas neste ano, após conseguir o acesso no Estadual, já está praticamente entre os quatro primeiros da Série B.

Fico feliz porque gosto da Lusa. Cheguei a visitar o Canindé com meu irmão há uns dois anos quando a Lusa jogou contra o Grêmio na fase final, mas não deu certo.

Sempre quando se fala em Lusa lembro do time que jogou a Copa SP no início da década de 90 e as seguidas discussões sobre a questão: os bons juniores devem ser lançados logo ou deve-se esperar que estejam "maduros"? Existe mesmo "o momento certo"?

Eu sempre achei isso uma bobagem. Nunca vou me esquecer do melhor time de juniores que já vi jogar: a PORTUGUESA que venceu uma Taça São Paulo de Juniores no início da década de 90 (acho que foi 91), liderada por Dener e Sinval. Massacrava todos os seus adversários e jogava demais... Na final, por exemplo, meteu 4x0 no Grêmio.

A Portuguesa poderia então ter seu melhor time de todos os tempos se subisse a gurizada toda ao mesmo tempo... Mas preferiu não, porque tem que "mesclar a juventude e a experiência"... Misturaram a juventude com a experiência de um monte de cabeças-de-bagres e perdeu talvez sua última chance de mostrar que é grande (coisa que eu tb nunca achei que fosse, mas é maior do que o que se apresentou desde 2002). Mas agora vai! Viva a Lusa!

Be God

- Carne definitivamente tem que ser MAL passada. De preferência mugindo. Bife torrado tem tudo o mesmo gosto.

- Sou contra a crucificação das arbitragens de futebol após erros, mas acho que elas deveriam poder ver uma segunda vez antes de decidir. Esse negócio de "futebol é interpretação" é uma porcaria! Eu quero ver gols, não erros ou injustiças. Outra coisa que eu também não gosto são das interpretações posteriores com base em imagens em câmera lenta. Elas potencializam interpretações sobre coisas que NÃO aconteceram de fato.

- Eu acho que é possível imaginar uma Copa do Mundo no Brasil. Possível, mas difícil. Fico lembrando de quando fui ao Estádio de Yokohama e entrei e saí dA PARTIDA de futebol sem nenhum aperto: todos sentadinhos, bem acomodados, em um estádio LIMPÍSSIMO que até parecia de videogame. Difícil imaginar a mesma cena por aqui... Conforto, banheiro, estacionamento, cada um no lugar marcado em seu ingresso... Mas sei lá, nas Eliminatórias passadas (Brasil x Bolívia) até que a coisa foi mais civilizada do que nos jogos de clubes. Aguardemos.

- Há um concurso da Deutsche Welle que escolherá os melhores blogs do mundo. Dentre as várias categorias, o Prêmio Blogwurst premiará "blogs que nos divirtam, perturbem ou que simplesmente tratem de um tema incomum". O blog ÍDOLOS DE BIGODE, que tem um amigo meu (Eduardo Rodrigues) como um de seus mentores, está entre os finalistas. Clique aqui para ver o blog dele, aqui para ver uma reportagem do Estadão sobre o tema, aqui para ver uma descrição deles e, principalmente, aqui para votar!

Dia das Crianças

Que todas sejam felizes como serão as das fotos (que usam camisas infantis criadas pela W/Brasil pela Reebok; fotos retiradas do Blog do Juca Kfouri):

Maratona de quê?

E esse "OUTRUBRO" do banner na parte de cima também está qualquer coisa....

Mundo de Mentira
Fast food: Cardápios vs. Realidade (sempre quis fazer isso... acho que vou começar!)
Xupla e Suplicy
Esse quadro foi ao ar no Pânico no último Dia dos Pais (12/08/2007). Quadro simpático e ao mesmo tempo inacreditável, já que é bizarro ver um Senador da República atuando dessa forma. Ha!
Japonês é 8 ou 80...
... Ou é todo certinho, ou produz coisas como a deste link. Brinque com seu mouse....
A mesa que eu queria pra minha casa...
Clique na imagem para entender melhor...
Chaveslayer
Podridão
Aiaiai... Sexta-feira passada fomos a uma festa no BUENA VISTA.... É muito estranho ir a esse grande templo da dança de salão (yeah!) para uma baladinha normal. Mas foi bem legal... dia de "flashback". Lá pedimos porções de pastel e frango à milanesa e fomos para a pista...
 
Quando voltamos para a mesa, outras pessoas que estavam no mesmo aniversário (mas gente que não conhecíamos) tinham comigo metade da nossa comida. Aí tiramos o prato e levamos para outro lugar, mas acho que os comilões rogaram alguma praga, pois desde o dia seguinte estou com febre e enjôos, e ontem me senti o Rei: longo tempo no trono. Mas já estou melhorando... 
O Aprendiz

Tenho acompanhado com interesse o programa O Aprendiz, na Record (terças e quintas). Assisti e gostei muito das duas primeiras edições; não acompanhei a terceira como gostaria. Esta quarta edição também não vi desde o começo (sempre esqueço a data dos programas de TV a que quero assistir), mas após a metade tenho conseguido ver quase tudo.

Não gosto tanto das provas quanto gosto da parte da sala de reuniões. E, nesta edição, não tenho pensado tanto em uma característica que eu achava forte no programa: o quanto ele pode ajudar espectadores que estejam à procura de empregos e/ou estágios. Aliás, uma vida muuuuuuuuito mala da qual não tenho a menor saudade... Não sinto mais isso não programa, mas não sei se é por ter me acostumado ou se o O Aprendiz mudou.

De qualquer forma, o programa parece fluir melhor do que antes. Acho que o Roberto Justus tem agora muito mais jeito para conduzi-lo: não consigo mais ver Justus como o homem plastificado e quase caricato de antes. Então talvez seja isso mesmo que tenha feito o programa perder um pouco daquele tom tão "empresarial": Justus está muito mais, sei lá, humano nesta edição.

Gostei especialmente dos programas em que o Eduardo e o Pedro saíram. Já estamos na final e estou torcendo pela Mariana. Primeiro, porque o projeto dela (embora um tanto vago: "racionalização da energia elétrica"... não sei maiores detalhes) faz mais sentido para mim do que o do Tiago (produto de lavar carros com lenços umedecidos... ?????). E segundo, porque ela é mais simpática e não tem um leve jeito arrogante que me faz lembrar de velhos tipos gevenianos que já conheci (o Pedro, 4° colocado do programa, eu também via assim).

É isso.

Nike Plus 10km

Pois é! No último domingo (17/6) corri o Nike Plus 10km, conforme havia dito aqui semana passada. Estava com medo dessa prova porque, após uma corrida na esteira rolante na quinta-feira anterior, saí com o joelho esquerdo bastante dolorido. Até o sábado de manhã mal conseguia colocar o pé no chão...

No sábado à tarde, fui retirar os kits na USP, mesmo sob o risco de não conseguir fazer a prova, e comprei uma joelheira que me daria mais segurança para o dia seguinte. No sábado à noite inclusive já estava bem melhor. Acordei às 6 da manhã do domingo, comi trocentas bananas e fui para a Cidade Universitária. Engraçada foi a coincidência de, sem ter combinado horário, eu ter encontrado outros três colegas de corrida logo que estacionei meu carro.

A prova começou às 8h, com 11.500 participantes no total. O clima ajudou muito, já que não fez tanto calor e nem choveu. Corri melhor do que os 10km da Maratona de SP, duas semanas antes. Fiquei correndo junto à massa, até para não forçar muito o joelho estourado. No começo pensei que seria difícil, mas depois fui ganhando confiança. Fui bem até faltarem uns 800m... Foi quando uma moça da organização que estava na lateral da pista gritou palavras de incentivo: "Vamos lá, pessoal, tá chegando, vamos puxar mais!...".

Tentei mesmo puxar mais... E senti minha panturrilha direita puxar também. Pensei que não terminaria a prova, mas depois de tanto trabalho... eu precisava chegar nem que fosse rolando. Tentando manter a perna esticada, corri mancando até o final. Devo ter sido ultrapassado por umas 300 pessoas (o nível aliás foi melhor que o da Maratona, pois aqui os 10km eram a prova principal), mas ainda consegui chegar com o tempo líquido de 56min 39seg, o 3.804 entre 7.364 competidores (628° entre 1014 da mesma faixa etária e 3.410° entre 5.678 homens). Ainda fraquinho, mas com uma boa melhora em relação a meu 1:01:03 da outra corrida.

Mais detalhes da prova clicando aqui.

Teoria da Invisibilidade
É curioso e não sei se é meio paranóia minha, mas SEMPRE - e DESDE SEMPRE - que eu entro em algum lugar (PRINCIPALMENTE restaurantes) acompanhado de mais do que uma pessoa é como se eu me tornasse invisível: posso passar falando, cumprimentando, perguntando o que for para maitre ou hostess, ou garçons, ou quem mais estiver recepcionando os clientes, que eles olharão para TODOS os outros que estiverem comigo, mas MENOS para mim. Estranho. Hmpf.
Run, Forrest, Run

Desde semana retrasada voltei a uma atividade que sempre gostei muito de fazer: CORRER. É que fazer academia ( = "puxar ferro") é um troço MUITO chato, mas correr é muito legal. Agora, tenho uma motivação extra: eu e dois amigos do trabalho temos feito inscrição em corridas "oficiais" de rua!

Minha estréia foi no domingo retrasado (02/06/2006): fizemos os 10km da Maratona de São Paulo. O tempo, em termos competitivos, não foi aqueeela maravilha: eu, atleta n° 15750, fiz o percurso em 01h 01min 03seg (01h 09min 33seg no total, incluindo o tempo anterior à linha de largada). Fui o 1924° na classificação geral e o 291° na minha categoria (faixa etária 30 a 34 anos). Mas o mais importante - considerando-se, claro, que eu não vinha fazendo RIGOROSAMENTE NADA de exercícios há muuuuuuuuitos meses - é que eu cheguei ao final... e, assim, cumpri o objetivo daquele dia.

Agora, com um parâmetro de comparação (tempo e distância) e com eventos específicos, espero me apresentar cada vez melhor. A motivação e até empolgação para manter essa atividade são outras... E o próximo capítulo é neste próximo domingo. Veremos.

Glória Maria e o Siri

Pra quem não viu (ou talvez nem saiba da história), segue o pequeno vídeo do brinco da Glória Maria caindo dentro de seu vestido no Fantástico do último domingo (10/6):

E também merece destaque a performance da dança do siri (difundida e talvez criada no programa Pânico na TV) ao vivo em reportagem do Jornal Nacional do último sábado:

Linkzinhos

- Qualquer pessoa que freqüente a Internet há algum tempo sabe quem são os emos e a forma como eles costumam escrever. Pois acabei de receber o link para um Dicionário de Miguxês... hahahahaha!

- Ainda preciso explorar mais, mas parece que este site traz um mundo de clipes... Você digita o nome da banda e.... tchan tchan tchan tchaaaaaan!

- Este testezinho é interessante: quem é a celebridade real e quem são seus sósias?

Considerações

- À parte a questão de ter sido uma enorme grosseria, não consigo não rir cada vez que leio algo sobre o caso Clodovil x Cida Diogo.

- O papa passou por aqui e fez mais sucesso do que se esperava. Ficou bem perto de mim, inclusive (na verdade, do meu trabalho)... Gostaria de tê-lo visto de perto. Gosto de quem quebra protocolos.

- Ontem assisti ao Pânico. Ao contrário do habitual, foi sem graça. O quadro do Papa benzendo o Rio Tietê, a homenagem ao Dia das Mães... mas o pior mesmo foi o excesso de comerciais no início (acho que demorou uns 20 minutos pra acontecer alguma coisa no programa) e essa história da autorização do Silvio Santos, que já está cansando...

- Por agora é só!

Aedes aegypti

Um mês! Sim, somente um mês após a promessa de voltar a escrever estou aqui novamente.... aiaiai...

Culpados da vez: muito trabalho e uma dengue que atacou uma pessoa muitissississíssimo amada. Sim, pela primeira vez funcionei como enfermeiro em boa parte do meu tempo. Pela primeira vez passei noites no hospital - ainda que como acompanhante. e digo que não é exatamente algo legal, embora tudo tenha corrido bem...

Como conseqüência, fugiremos de praia por um bom tempo. Ubatuba, Santos, Caraguá, Angra, Long Beach... não nos veremos assim tão breve.

Mas pelo menos no feriado de 1° de maio consegui fazer algo que julgava impossível desde que me mudei: arrumar meu aparato técnico e virtual. Bom, isso na verdade não é nada além de ligar o micro à TV e ao aparelho de som... coisa que parece simples, mas que dá uma preguiça monstruosa de fazer. Quem não sabe como é, não consegue ter idéia do quanto de fio que isso representa...

Ah, é também havia perdido meu carregador de bateria da máquina fotográfica. Culpa da bagunça gerada pela mudança de casa (que aliás é algo que parece nunca terminar)... E falta de fotos desmotiva muuuuito para atualizar site... afinal, de novidade colocar o quê? Mas agora encontrei esse negócio. Estou mexendo no leiaute do site e acho que logo começarei a colocar conteúdo aos pouquinhos...

Fui!

Ueba!

Ainda não me acostumei a voltar a escrever aqui... Às vezes acontecem coisas que me dão vontade de escrever, mas quando chego em frente à tela eu esqueço... aiaiai.

- Ah, ontem acabou o BBB! Todos gostam de malhar esse programa, reclamam, falam que não presta para nada, mas todo o mundo sabe mais ou menos o que está acontecendo... pra falar o mínimo. Eu comecei a assistir somente da metade para a frente, mas acabei me viciando um pouco. Estava torcendo mesmo pelo Alemão, pois além de ser são-paulino (ha!) foi o cara que melhor mesclou jogo e vida pessoal sem perder o caráter (pelo menos aparentemente...).

- Faz tempo que não vou ao cinema... Preciso atualizar isto aqui em relação aos últimos filmes que vi, mas acho que a maioria deve até ter saído de cartaz. O único que lembro agora é Borat. Com cara de filme tosco mas bastante elogiado por aí, eu achei-o no máááximo simpático. Algumas partes são muito podrescas... algumas boas tiradas... e nada mais. Ouvi muita gente falar que é um filme excelente para o telespectador anti-americano. Pois acho que estou americanizado demais, porque nem consegui perceber nada disso. Já os cazaquistaneses são tratados no mínimo como povos primitivos, quase como retardados, tamanho o atraso em que parecem viver. Acho que teria ficado bem mais chateado se tivesse nascido no Cazaquistão.

- Domingo vi em vídeo Vôo United 93. Também lembro de muitos elogios a esse filme, inclusive com algumas pessoas dizendo ser o melhor sobre o tema "11 de setembro". É interessante, prende a atenção, mas não é tudo isso. A parte que mostra o desespero do pessoal da força aérea ianque em terra com os problemas simultâneos de várias aeronaves é looonga. E a parte que mais importa, a do seqüestro mesmo, é curta e angustiante. Médio.

Por hoje é só.

Uia!

Salve, pessoas! Depois de muuuuita preguiça e má vontade (além, como sempre, de muitos problemas técnicos), resolvi voltar a escrever. Foram quatro meses longe! Muita coisa aconteceu nesse tempo todo... Coisas importantes, mas que a esta altura do campeonato todos que me conhecem de alguma forma já sabem.

- Pois é, vou voltar a atualizar isto aqui, mas de uma forma mais simples e dinâmica. É que o principal motivo do meu distanciamento foram as eternas preocupações estéticas e lingüísticas... ter que escrever um texto coerente e ainda reler para pegar erros de concordância e lógica às vezes desanima. Por isso, passarei a NÃO ter mais essa preocupação! Quem se incomodar com algo ou pegar algum erro, diga-me!

- Ando com vontade de compartilhar um tema: o maravilhoso mundo dos donos-de-casa! Sim, pois a principal mudança nesse tempo todo foi que praticamente casei-me! Eba! Novas responsabilidades e experiências que, por que não?, podem ser trocadas com quem vive situações semelhantes. Temas que gerem discussões essenciais para o futuro da sociedade, como uma boa receita (opa!) ou qual a melhor marca de detergente. Afinal, para um ex-pós-adolescente-meio-preguiçoso como eu (dá-lhe autocrítica), limpar a casa ou montar um armário um dia pareceram grandes aventuras... mas são atividades muito mais interessantes e até prazerosas do que se poderia imaginar.

- Ah, meu site! Só voltarei a atualizá-lo quando meu micro ressuscitar. Estou sem computador e, quem diria, até estou vivendo bem assim. Também vou pensar se volto ou não a atualizar a Língua Tricolor. Acho que farei neste esquema de escrever sem pensar muito.

- Por hoje tá bom.

Nada com Nada

- Again and again and again.

- Acho que preciso de férias, no sentido mais amplo possível. Mesmo com tudo indo muito bem neste momento, sinto-me cansado. É estranho, até. Queria eu "zerar" minha mente... Me organizar melhor em tudo, parar para pensar no que deve ser feito e principalmente em como deve ser feito... Muita coisa pra mudar. Triste é que eu acho que mesmo quando eu tiver tempo vou acabar fazendo outras coisas que não as que eu preciso... Mas só poder descansar seria tãããããããão bom...

- Devo registrar minha alegria pelo TETRACAMPEONATO DO BRASIL, conquistado pelo São Paulo FC. Na verdade essa comemoração começou há tempos, pois a vitória estava muito sólida... só uma hecatombe nuclear tiraria o título tricolor nessas últimas rodadas. Só foi pena que a conquista veio com um empate, o que por um momento deixou um certo ar de frustração no estádio... Mas depois todos desencanaram e curtiram a volta desse torneio regional (pros são-paulinos é assim que funciona!!) ao Morumbi como deveriam!!

- Estou revendo minha vida virtual. Orkut, blog e principalmente meu site. A "revisão" no princípio seria mais em termos de leiaute (sic), mas acho que vou refazer todos os conteúdos também. O que exigirá muita paciência, para variar.

- Por fim, uma musiquinha pra animar:

TÔ CANSADO (Titãs)

Tô cansado do meu cabelo, tô cansado da minha cara
Tô cansado de coisa vulgar, tô cansado de coisa rara
Tô cansadoooooooooooo, TÔ CANSADO!!!

Tô cansado de me dar mal, tô cansado de ser igual
Tô cansado de moralismo, tô cansado de bacanal
Tô cansadoooooooooooo, TÔ CANSADO!!!

Tô cansado de trabalhar, tô cansado de me ferrar
Tô cansado de me cansar, tô cansado de descansar
Tô cansadoooooooooooo, TÔ CANSADO!!!

- Fui!

Salsa e thrash metal...

- Caretas Bar: Bar na Vila Madalena. Fui sem grandes expectativas, já que imediatamente antes de eu me dirigir ao recinto falaram-me mal dele... que era meio morto e tal... Mas acho que a reclamante visitou o Caretas num dia ruim. Achei o bar relativamente grande, comida boa, banda muito agradável (samba-rock, entre outros estilos). Realmente não estava cheio, mas longe de estar vazio. Gostei e voltaria.

- Salsa: quando comecei a fazer dança de salão, aqueles que sabem que minha praia é rock me zoaram dizendo que eu tinha mudado radicalmente de estilo. Eu respondia que não, que salsa, forró & cia. eram só para dançar e que eu, por exemplo, jamais compraria um CD para ficar ouvindo no carro. Aí no mês passado a Débora (minha parceira "titular" nas aulas) ganhou de aniversário um CD de salsa e gravou para mim. Ele está lá no carro... e eu ouço de vez em quando. Aiaiai.

- X-Caret: E aí pra completar fui na quarta dia 11 a esse local que toca somente ritmos latinos. Pois é... e eu que achava ritmos latinos um negócio muito, muuuuito brega... mas até que é legalzim. Foi um dia atípico - quarta-feira, véspera de feriado -, achei: excelente banda (quando começou a tocar eu não estava olhando para o palco e pensei que ainda fosse algum CD); a moça do vocal tinha ótima presença de palco; lugar maior do que eu imaginava; não estava cheio; um pouco estilo "panelinha" (grupos pré-formados, diferente do Buena Vista às segundas, por exemplo, onde todos dançam com todos); não tinha muuuuuuuito mais mulheres do que homens, como sempre me diziam. Quero voltar lá num dia "normal" para ver se esse é o padrão.

- Se me perguntassem até o início do mês passado a qual show ainda faltava eu assistir na minha vida, eu responderia sem titubear: Slayer. Muitos nem acreditam que eu gosto dessa banda que há mais de 20 anos toca thrash metal - algo como uma mistura de metal e hardcore. E eles finalmente voltaram ao Brasil para dois shows no Via Funchal. Fui ao primeiro, numa sexta-feira. Vi váááárias figuras estranhíssimas... Aliás, nunca vi tanto cabeludo na minha vida... tanto que eu sabia que a Patuca estaria lá, ela que tem um cabelão... e no ambiente escuro do Tom Brasil cada cabelão que eu via imaginava que poderia ser o dela... e aí a pessoa sempre virava e era um barbudão. Medo. Mas o show foi SENSACIONAL. Descobri que conheço muito mais músicas do que imaginava. Temia que setenta minutos daquele rock pesado fossem cansar os ouvidos, mas não foi o que aconteceu. Abaixo, um exemplo da poesia e sutileza de tal banda.

Elucubrações

- Acho que todos alguma vez na vida responderam à pergunta (ou pelo menos pensaram a respeito disso): "E se eu tivesse UM superpoder? Apenas UM? E tivesse o direito a escolher? Qual eu escolheria???" Voar? Ser invisível? Ser muito, muito forte? Fazer o tempo voltar? Pois é... Eu não desprezaria nenhum desses, mas o que eu queria mesmo era ter o poder que o Mel Gibson adquire após tomar um choque em Do Que As Mulheres Gostam: ler o pensamento de todas as mulheres. Blé.

- Quinta-feira passada, no final de uma ligação em que atendia a um usuário de sistema, fui surpreendido pela pergunta: "Ô Maurício, você é oriental?" "???... Eu?? Não... Mas... por quê?" "Pela paciência com que você explica tudo...". Bom, de fato há vezes em que é preciso muita paciência mesmo... Mas pela primeira vez fiquei pensando o quanto a intensa convivência com orientais pode ter mudado - para melhor, claro - o meu comportamento. Em todo caso, agradeço às minhas centenas de amigos japas (lato sensu, hohoho).

- Há três sábados participei de um incrível churrasco com o pessoal que fez Exército comigo (!!) no longínquo (bom, nem tanto) ano de 1994. Alguns mais carecas (eu, inclusive...), a maioria bem mais inflada... mas foi muito, muito interessante mesmo reatar contato com esse pessoal. Vivas e mais vivas ao Orkut, que é quem dá o pontapé inicial nessas iniciativas.

- Aliás, a partir desse encontro fiquei pensando em uma das das teses sobre dança de salão que venho construindo em minha mente. É que jogamos futebol - a primeira vez que joguei bola de verdade depois que comecei a dançar pra valer. Notei que, pelo menos naquele sábado, um dos meus piores fundamentos teve uma melhora razoável: o drible. Eu acho que pode ter tudo a ver. Logo escreverei mais a respeito.

- Ainda devo o show do Slayer... falo dele na próxima, assim como de "Efeito Borboleta 2", meu retorno aos cinemas. Até!

Votando e Voltando

- Ok, ok, ok... Sei que bati o recorde de ausência neste blog, mas nem adianta me perguntar o porquê, já que não há motivo. Preguiça, simplesmente. Bom, vá lá, e um pouco de falta de tempo também. Mas minha vida em regra tem se resumido em trabalho, dança de salão e futebol. Mas agora vai. Espero.

- Nunca tive intenção de fazer campanha política neste espaço - e nem farei. Nem estava tão empolgado com esta eleição - embora sempre convicto de minha escolha. Mas quando a coisa começou a embolar, a esperança voltou... E confesso que ontem, ao clicar no "Confirma", tive uma sensação diferente de imensa satisfação. Mesma satisfação que tive quando soube à noite do resultado final. "A luta continua", não era assim? 

- Pois é, nesse tempo todo, acreditem, não fui NENHUMA vez ao cinema! Também cabulei dois shows que em outras épocas eu faria um esforço maior para comparecer: Franz Ferdinand e NOFX. São bandas que acho legais, mas também não morro de amores por elas. Sendo assim - e também em parte por falta de companhia -, abortei os dois eventos. Em compensação fui ao show do Slayer. Desse falarei com mais detalhes no próximo post.

- Canto da Ema: fui lá no dia 06 de setembro, véspera de feriado. Primeira vez que fui a um forró que não fosse o do Buena Vista. Fui meio ressabiado, pois disseram que era muito lotado e que tinha muita "pirralhada" (sic). E de fato era quaaaase isso... não achei tão "pirralhada" assim, mas tem mesmo um público um pouco mais jovem do que eu. Ha! E é mesmo superlotado... o pessoal vai mesmo pra badalar, porque dançar, na maior parte do tempo, é praticamente impossível... O máximo que dá pra fazer é girar no mesmo lugar. Por isso não gostei tanto, não.

Por hoje tá bom, né. Volto em breve!

Clicks, Clocks e BigMacs

- Sábado da semana passada (19/8) assisti ao filme Click. Uma fábula sobre o tempo, família e prioridades. Pelo que eu vira no trailer, premissa interessante: cansado de tantos controles remotos em seu lar (TV, vídeo, ventilador, garagem), Adam Sandler sai atrás de um controle universal. Mas o que ele consegue não apenas controla todos os aparelhos de sua casa, mas também toda a sua vida: adianta fatos, permite rever momentos, aumenta e diminui o volume... Enfim: um objeto que todos gostariam de ter (embora fosse mais limitado do que eu achara a princípio: ele permite rever os momentos antigos, mas não permite que eles sejam "refeitos", à la Efeito Borboleta).

São na verdade dois filmes. Na primeira metade, um típico filme de Adam Sandler: piadinhas simpáticas, algumas até meio bobas, uma certa dose de escatologia (na verdade acho que só uma cena... bem menos que a média dos filmes dele). Um filme agradável, eu diria. Na segunda metade, um filme TRISTE... feito para refletir principalmente sobre as prioridades escolhidas na vida e o tempo que se pode "perder" com elas... Apesar da saída primária no final, eu até que gostei do filme. Além de a Kate Beckinsale, esposa dele no filme, estar tãããão bonita.... Bom passatempo.

- Ontem (26/08) à tarde fiz um programa bizarro - considerando-se a minha pessoa e meus gostos alimentares. É que há um colega de trabalho que todo ano vende "vales-BigMac" para o McDia Feliz - o dia em que a consciência do McDonald's pesa e eles ajudam o GRAACC, uma instituição que cuida das criancinhas com câncer. Comprei dois para ajudá-las. Maaaas... como não quero ser outra criancinha com câncer, avisei por e-mail a alguns amigos que doaria os dois vales para quem se manifestasse. Acabou-se criando um evento para isso: quase dez pessoas foram ao Mac da Paes de Barros para usufruir (??) e ainda comprar outros BigMacs. Impressionante.

- À noite fui ao The Clock, em Perdizes. Já escrevi sobre ele no post de 23/06. Mantenho boa parte do que disse sobre o lugar, mas agora ocorreu um fato que me deixou chateado - para não dizer profundamente irritado. A casa exige que se porte um documento de identidade para poder entrar no lugar. O motivo alegado é a tentativa de evitar problemas com a lei, já que não se pode permitir a entrada de menores de 18 anos - há o medo de que um dia ocorra uma "batida" (!), que se peça o documento para comprovar a idade dos presentes (?!?!) e que algum menor esteja lá dentro.

"Batida" para checar idade dos presentes... Em mais de uma década de baladas jamais vi NADA parecido... aliás jamais nem me pediram documento para entrar em qualquer lugar... mas enfim... O fato é que impediram dois casais muito amigos meus de entrar no recinto, sendo que pelo menos três dessas pessoas têm mais de TRINTA anos (só conheci a quarta pessoa na entrada, quando eles eram expulsos da casa, e por isso nem chutarei a idade dela). Sendo assim, graças à rigidez em relação a uma exigência sem nenhum sentido conseguiram estragar e/ou prejudicar a noite de pelo menos cinco clientes. É louvável querer estar "na lei", mas é uma forma meio non sense pelas circunstâncias. Graças a uma idiotice dessas pensarei 500 vezes antes de voltar lá quando for convidado (os barrados certamente não voltarão). Pra a casa talvez não faça nenhuma diferença, mas enfim... Paciência.

- É isso.

Quase...

Acabamos de não ganhar a Libertadores da América. "Não ganhar" - e não "perder", porque ninguém "perdeu" nada!!! Não perdemos o jogo final (se serve de consolo...), muito menos me sinto "derrotado". Talvez fique chateado amanhã ou depois, quando e se cair a ficha, mas até lá...

O fato é que foi um JOGAÇO de bola, e QUASE conseguimos o impossível. Infelizmente só um desses dois times poderia ser campeão. Como já foi muito escrito e falado antes, os dois melhores times do Brasil.

Curiosamente, o Inter foi melhor no Morumbi e o São Paulo foi melhor no Beira-Rio. Ousaria inclusive dizer que o SP foi MUITO melhor no Beira-Rio - mas aí também graças às circunstâncias do jogo (Inter mais atrás para garantir resultado, essas coisas).

Pois é... "Não dá pra ganhar todas", "em uns dias se ganha e em outros se perde", e esse blablablá todo - verdadeiro, por sinal. Mas o fato é que tenho ORGULHO do São Paulo FC, por hoje e por sempre. E principalmente pela luta até o último segundo, mesmo em situações extremamente adversas - isso é o que interessa.

Então, galinhada, porcos rosas, peixada, urubuzada, miltoneves, millylacombes, torcedores do Patético Paranaense e de outros times do submundo do futebol, podem todos soltar suas bombinhas e agradecer ao excelente Colorado gaúcho.

Mas cuidem-se, pois agora o SP jogará pra valer esse torneio regional ao qual vocês dão tanto valor chamado Campeonato Brasileiro.

É isso, e parabéns ao Internacional!

PS1: Àqueles que odeiam o Rogério Ceni: podem fazer suas gracinhas, mas um acidente de trabalho não apaga nada do que ele já fez pelo SP.

PS2: Torcerei pelo Internacional em Tóquio, principalmente contra o time daquele dentuço mascarado.

Apelando para os vídeos

- Após uma semana fisicamente massacrante (segunda, forró; terça, aula de salão; quarta, São Paulo x Internacional - que foi o que mais me quebrou; e quinta, Buena Vista - aliás repetição da semana anterior, só trocando "Inter" por "Chivas" ), morri na sexta. Ressuscitei no sábado para ir a um baile de máscaras em um buffet na Vila Mariana... Excelente idéia da aniversariante!! Finalmente no domingo, após o almoço em comemoração ao Dia dos Pais, jantei na Pizzaria Vica Pota, em Higienópolis. Preço justo, massa fina, ambiente agradável. Altamente recomendada.

- Seguindo uma tendência dos blogs atuais, vou começar a colocar aqui os vídeos bizarros, engraçados e/ou curiosos que eu recebo ou encontro no meu vício mais recente: o site Youtube. Hoje segue uma contribuição de meu amigo In. Veja se você reconhece essa música - aliás, melhor que a original:

- Inté!

O mundo ainda tem esperança

- Quinta-feira passada recebi uma ligação de uma amiga minha no telefone do trabalho. Ela reclamou porque eu não atendia o celular... Ué, mas eu nem ouvira meu celular tocando! Fui checar e... cadê?? Fiquei torcendo para que eu apenas o tivesse esquecido - e não perdido - em algum lugar. Só que - eu descobriria depois - havia mesmo deixado ele cair... coloquei-o de manhã cedo no bolso da calça social e ele caiu no carro... que estava aberto no estacionamento... e deve ter sido deslocado zilhões de vezes pelos manobristas. Fácil fácil para qualquer pessoa desonesta ganhar um presentinho... Mas eis que quando chego em meu veículo, lá está meu celular calmamente repousando sobre o banco do motorista. Aê!

- Conta-me meu pai que segunda passada um tio meu e família foram à pizzaria São Pedro. E quem estava lá? FERNANDO HENRIQUE CARDOSO, Dona Ruth, Paulo Renato e (provavelmente) um séquito de puxa-sacos. Meu tio chegou a conversar com FHC e disse que ele é bastante simpático e atencioso.

- Ninguém deve estar mais rindo à toa do que a Reebok. No início deste ano ela voltou a patrocinar o uniforme de clubes de futebol no Brasil. E escolheu logo quem?? São Paulo e Internacional, de quem deve estar vendendo toneladas de camisas...

- E, por falar nisso, a única vantagem de o SP ter perdido a primeira final da Libertadores é que se perder a segunda ninguém virá me falar mais nada... pois TODO O MUNDO já me falou durante essa semana. Viraria piada repetida... E todos tratando tudo como terminado. Ok.

Na trave

- Por mais amor que se dedique a alguém ou alguma coisa, sempre haverá nela algumas coisas que irritam profundamente. Isso se aplica a tudo nessa vida, mas me refiro neste caso à Diretoria do São Paulo FC, que tão boas gestões tem feito em tempos recentes. Só que em todo jogo importante do SP é a mesma coisa: uma fila terrível para comprar, um sistema LIXOOOO da medonha empresa Ingresso Fácil e um esquema de vendas que parece querer dificultar ao máximo a vida do torcedor. Ou do sócio-torcedor: afinal, por que os ingressos "normais" começaram a ser vendidos no domingo e os de sócio-torcedor somente na segunda-feira, dia em que é preciso trabalhar??? Desta vez não pude fugir na hora do almoço para comprar e dancei. Ano passado fiz isso com imensa tranqüilidade no próprio domingo. Por tudo isso, este ano as chances de eu assistir à partida no Morumbi são no momento praticamente nulas. Aliás, por falar no Morumbi: por que os ingressos no domingo foram vendidos exclusivamente lá?? Não era melhor descentralizar as vendas e evitar que pessoas tivessem que varar a noite e mesmo assim saíssem sem ingresso? Lamentável, viu.

- Semana passada, após perceber (alguns já tinham percebido...) que eu ando meio viciado nesse negócio de dança de salão, voltei às minhas origens e fui a um incrível show de punk rock: a Ramones Fest, no Via Funchal, em homenagem aos 30 anos do primeiro CD dos Ramones e com participação especial de Marky Ramone (o baterista da formação clássica da banda, ele que já veio 839 vezes ao Brasil). Deixei para comprar o ingresso na hora do show confiando em uma premissa arriscada: punk rocker que é punk não vai em massa ao Via Funchal, na Vila Olímpia, gastar 80 paus pra ver outra vez o Marky Ramone... Claro que eu acho que isso não tem nada a ver, mas confiei que um monte de gente pensasse desse jeito... E me dei bem: o lugar não estava vazio, mas esteve longe de lotar.

- A primeira banda a tocar foi o Tequila Baby, conhecida banda gaúcha da linha ramoniana. Eu até gosto deles, apesar de algumas letras extremamente esdrúxulas... mas no final a voz do vocalista já cansava um pouco os ouvidos - prejudicada, diga-se, pelo estridente som da casa. Não tem jeito, o único lugar com acústica satisfatória para shows desse tipo é o Hangar 110. Em seguida entrou a ótima banda americana The Queers. Praticamente sem conversar com o público, promoveram seqüências sem nenhuma pausa (nem para os clássicos "One, two, three, four" à la Ramones antes do início de cada canção). Muito bom.

- Para terminar, Marky Ramone é saudado como um deus pelo público e vai anunciando um a um os clássicos dos Ramones, acompanhado (novamente) pelo Tequila Baby: "The KKK Took My Baby Away", "Teenage Lobotomy", "53rd & 3rd", "Cretin Hop", "Pet Sematary" (que Marky se atrapalhou e anunciou duas vezes, uma antes e outra depois de tê-la tocado), "Blitzkrieg Bop" e muitas outras... até "What a Wonderful World", em versão próxima à gravada por Joey Ramone em carreira solo... que beleza.

- No final, um negócio engraçado que acabou me decepcionando um pouco. Marky jogou uma das baquetas que usou no show para o pessoal que estava próximo a ele. Foi para o outro lado do palco, ficou de costas e jogou a outra baqueta para trás... ela rebateu no monte de mãos do pessoal próximo a mim e repousou nos braços de um senhor que via o show um pouco (beeeem pouco) atrás. Se eu tivesse um passo à direita... teria grandes chances de conquistar essa pequena lembrança. Tsc, tsc, tsc.

- É isso!

Ventre Livre

- O cara do elevador do post passado é mais mané do que eu! E me induziu ao erro, pois a campanha política na TV começa somente no dia 15 de agosto... sorry!

- Segunda-feira fui assistir a um espetáculo de dança do ventre! Apresentação da escola em que uma pessoa muito legal que eu conheço pratica essa arte. Às vezes é até chato ver como muita gente não dá o devido valor e respeito à beleza dessa dança em si... Costumo almoçar em um restaurante árabe no Centro de SP que oferece esse atrativo e, quando mostro fotos desses almoços para terceiros (sim, nossas câmeras fotográficas são a extensão de nossos braços!), eles sorriem maliciosamente dizendo "Isso é na hora do almoço?!?"... Mas tudo bem, preconceitos são preconceitos. Eu também já achei um dia que "dançar é coisa de bicha" ou que "dança de salão é exclusividade da terceira idade"... mas o tempo e os fatos mostram quem tem e não tem razão.

- Sexta final de Libertadores, segunda consecutiva. É um orgulho, esse meu time. E ontem nosso grande ídolo proporcionou um de meus melhores momentos em estádio, graças à fantástica defesa no pênalti no primeiro tempo. Perder a vantagem conquistada no México antes de um terço de jogo tinha tudo para ser catastrófico. Mas não foi, e os 20 minutos seguintes da partida (incluindo os primeiros do 2° tempo) foram sensacionais. Fora o olé no segundo tempo.

- Inté!

Política e Gravidez

- Hoje no elevador, vindo para o trabalho, fui "lembrado" por acaso de que hoje começa a campanha política na televisão. Fiquei me recordando de como eu via a política quando era criança (!!) e comparando com a forma como vejo (ou não vejo) hoje. Embora eu já tenha convicção sobre meus votos para Presidente e Governador, já não tenho a mesma disposição para acompanhar e até eventualmente fazer campanha para ninguém. Desesperança, creio eu.

- Mas o que importa é que pra mim "campanha política" = "campanha política na TV". Ou seja: tudo começa hoje. Ainda aposto vintão que Geraldinho leva essa.

- Houve um ano aí (não lembro se 2000 ou 2001) que foi para mim o "ano dos casamentos": devo ter ido a uns 7 ou 8, além de ser padrinho de uns 3 ou 4... Devo ter ido a mais casamentos naquela épca do que fui no resto da minha vida! Pois este período de agora até o meio do ano que vem será o "ano dos nascimentos": tenho nada menos do que sete bebês de conhecidos para acompanhar a gravidez! Lillian e Marco, Silvia e Johny, Renato e Karina, David e Nara, Polé e Gisele, Gian e Mônica (duas vezes!). Parabéns a todos! (e espero não ter perdido a conta e esquecido de ninguém...)

- Inté!

Duas coisas

- Acho que vou mudar o estilo deste blog. Costumo deixar juntar assuntos para escrever um tópico maior, mas aí vem a preguiça de escrever muito e acaba acontecendo isso que vocês sabem bem: muito tempo sem atualizar... Vou passar a escrever mais e pouco. Vou tentar, pelo menos. Outra coisa que eu sempre faço é deixar link para todas as referências que faço. Isso também gera preguiça... então lamento para quem gostava, mas passarei a fazer isso apenas quando extremamente necessário e/ou relevante.

- Sábado vi Superman - O Retorno. Ah, até que gostei. Tudo bem que até ele aparecer de fato e começar a ação o filme beira o insuportável... Além de eu não gostar muito do Kevin Spacey, o Lex Luthor do filme. Mas depois o filme melhora MUITO e acaba valendo a pena. Bizarra é a cara meio plastificada do Super-Homem... parece que passaram um Photoshop permanente na cara dele. Agora, arrumaram uma Lois Lane tãããão bonitinha...

- Na semana retrasada passei no Shopping Higienópolis e lá, na fila do cinema, vi Adriane Galisteu e Roger. Ela é alta e magra, como esperado... estava meio estorricada de sol, mas até que é bonita. Ele é baixinho... inesperado para um jogador de futebol. Pronto, registrado.

- Inté!

De Volta ao Cinema

Mais de duas semanas sem atualizar. Mas também ando tão cansado e tão de saco cheio que não tenho muita vontade de entrar no blog, escrever, ler, reescrever, reler... E isso tudo tende a piorar, pois duas pessoas do meu trabalho entraram em férias, então já viram pra quem vai sobrar. Bom, mas hoje vou falar de filmes, já que fazia um bom tempo que eu não ia ao cinema:

- O Código da Vinci: contrariando a regra "Quem leu o livro não gostou deste filme", eu li o livro e até que gostei do filme. Claro que não é aquele primor, e não sei se eu entenderia tudo caso não tivesse lido. Mas não é um filme chato como disseram... e nem enrola tanto em explicações como fora divulgado por aí. Pelo contrário, muita coisa é tão cortada que perde um pouco o sentido. O final, diferente do final do livro, até que é interessante. Só não gostei muito da Audrey "Amélie Poulin" Tatou nesse papel (não é muito a cara dela) e da trilha sonora alta e ininterrupta na primeira metade do filme... muito incômoda.

- Separados Pelo Casamento: Jennifer Aniston e Vince Vaugh. É um filme simpático, e nada mais do que isso. Esperava bem mais... Disseram que era muito engraçado, mas com boa vontade dá pra dizer que tem algumas partes bem divertidas. E só. Outras partes são inclusive um pouco irritantes, em especial as intermináveis discussões entre os dois no início da crise entre ambos. Bonitinho, mas dispensável.

- Poseidon: Fui sem saber do que se tratava. Sabia apenas que acontecia alguma coisa com um navio... e passei todo o início com a incômoda sensação de que assistiria a um novo Titanic. Mas aí a surpresa: uma catástrofe! Vivas aos filmes-catástrofe!! Eu não sei se é interessante eu falar exatamente o que acontece, mas está por aí em todas as sinopses... E aí o tradicional grupo de "rebeldes", que eu sempre acho que está pedindo para se ferrar, sai em busca da salvação. Legalzinho esse filme... Contra ele, apenas uma coisa que acontece muito cedo e me decepcionou bastante. Mas isso não posso mesmo escrever aqui, para não perder a graça.

Ah, é isso.

Fim de festa

Meu site. Tenho passado meu tempo de férias (volto na quarta) atualizando meu site. Além, claro, de assistir à Copa... Ainda há muito por fazer, mas já há alguma coisa nova por ali: vídeos inéditos de Tóquio e, claro, o Diário da Copa do Mundo.

6:01. O Bar Seis e Um (nome em homenagem ao primeiro minuto pós-maioria-dos-expedientes) fica numa rua escondida do Itaim. Freqüência interessante, local agradável, banda ao vivo (pelo que ouvi - não cheguei a ver a banda -, uma Cássia-Eller-fake). Destaque absoluto para as PORÇÕES: comemos umas SETE porções diferentes e TODAS estavam ótimas!! Batatas fritas, bolinho de carne seca, bolinho de carne seca com abóbora, filé aperitivo ao molho madeira, pasteizinhos, polentas...

Conexión Caribe. Bar cubano que tenta reproduzir ao máximo o ambiente de seu país de origem. Muita salsa (bom para treinar o ritmo que menos sei dançar até agora) e muito merengue (talvez a dança a dois mais fácil que exista...). Cheguei umas dez e pouco, pista vazia. Depois da meia-noite dançar torna-se uma tarefa mais audaciosa - e isso porque o bar viveu uma ampliação recente. Rolam uns "flyerzinhos" que dão entrada gratuita até a meia-noite de sextas e sábados. Bizarro: como pagamento, SÓ aceitam dinheiro. Mas o lugar é bastante legal.

Chácara Santa Cecília. Fui há não muito tempo, mas agora voltei lá com mais calma. Fiquei no ambiente dos fundos e, ao contrário da outra vez, consumi, aproveitando uma promoção em que um pedido de prato (em vez de porção) "zeraria" o valor da entrada. Comi um polpettone recheado com queijo e acompanhado de espaguete. Muito bom, embora pequeno para o preço cobrado (a tal promoção compensou MUITO). Tinham me falado que o atendimento lá era péssimo mas, tirando alguma confusão no início (umas três vezes em que quase nos deixaram pratos que não eram nossos), ficou longe de comprometer. A seleção musical da pista foi melhor (para mim) do que a da outra vez em que fui. Legal.

Are you ready to dance?

Voltando, então... Agora de FÉRIAS e em clima de Copa. VAI, GORDO !!!

Vem Dançar. Cinema. Sou suspeitíssimo para falar, essa é que a verdade... afinal o filme gira em torno da DANÇA DE SALÃO. Como de um mês pra cá voltei a me empolgar e me dedicar mais ao tema, gostei bastante do filme. Antonio Banderas é professor de dança de salão e resolve voluntariamente dar aulas para alunos do ensino público de NY. Aparecem, claro, aqueles clichês de filmes sobre a relação "professor - alunos rebeldes" e todas as forçadas de barras inerentes aos todos os filmes que terminam com um concurso... Mas a "ballroom dancing" é mostrada de uma forma que talvez eu nem tivesse percebido até então... Acho inclusive que vou decorar o discurso do Banderas (que sempre foi meio canastrão, mas que aqui está num papel feito sob medida) na reunião de pais para quando alguém vier denegrir a dança de salão. Ha! Neste link, uma crítica interessante de alguém que manja sobre o assunto... ela faz umas observações interessantes, embora, veja só, NÃO tenha gostado do filme. Ah, sim, também vale dizer que com esse filme percebi que tenho que aprender logo outro ritmo que eu sempre quis conhecer: o tango...

The Clock. Fui lá dia 09/06. Local em Perdizes com foco no rock'n'roll dos anos 50 e 60: Chuck Berry, Elvis, Jerry Lee Lewis & Cia. A decoração da casa é toda nesse clima, um ar de lanchonete daquela época. Rola uma aula de dança antes da banda (naquele dia, "Seedão HD e os Destruidores de Arquivo") começar a tocar, o que faz o pessoal se soltar mais e deixa tudo ainda mais animado. O sanduíche ("Presley") que pedi não estava tão bom, mas comi um pedaço do sanduíche da Lu e uma porção de nuggets que estavam ótimos. Sem contar um pedaço de bolo que trouxeram para os parabéns para a pessoa aniversariante do dia, que estava O ESPETÁCULO. Muito legal, o lugar.

Amor em Cinco Tempos. Cinema. O filme parte de uma premissa interessante: mostra um relacionamento de trás pra frente, começando com o divórcio, aí a crise, o nascimento do filho, o casório e a ocasião em que eles se conheceram. Não é um filme que dê sono (mesmo sendo francês...), mas falta alguma coisa. Sai do nada e chega a lugar nenhum. Bom pra matar o tempo, mas dispensável.

London Station. Local relativamente novo no Itaim. Barato, principalmente para os padrões esperados para a região (15 contos de entrada). Aliás, incrível como não sei andar em determinados locais desse bairro... Pra passar de um lado ao outro da Tabapuã (com a Faria Lima no meio) levei muuuuitttooo teeeeempoooo... Terrível. Quanto ao local em si, sei lá, viu... Lá toca música eletrônica (house), que tenho ouvido mais do que eu ouvia antigamente... Então até gosto de algumas coisas, mas escutar durante horas e horas torna-se um pouco repetitivo. Mesmo assim, o que mais me chamou a atenção é que às duas da manhã a pista já tinha esvaziado muuuito. Sempre achei que o lance para esse público era virar a noite. A não ser que todos tenham saído para emendar em outro lugar...

For All

- Voltei ao ritmo do começo de ano. Eu tinha dado uma puxada no freio de mão, parado de sair tanto e de dar a impressão aos leitores deste blog que minha vida era uma farra só, o que realmente não é... Mas esta semana foi punk, estou até meio baleado. E a série ainda não terminou.

- O mais importante é que voltei ao embalo da dança... Além de retornar às práticas da própria escola, fui duas semanas seguidas ao Buena Vista Club, casa no Itaim que destaca ritmos específicos a cada dia da semana: zouk no domingo, salsa na terça, samba na quinta, baladinha normal (pop/rock e MPB) na sexta e sábado, e por aí vai. Fui na segunda-feira, FORRÓ até não poder mais. Local aprovadíssimo: bastante gente, mas não superlotado; dá pra sentar, conversar, dançar sem maiores atropelos. A banda Zabumbão manda bem. Rola antes uma aulinha de forró (vi na primeira semana, das 20h50 às 21h20, longe da uma hora - 20h30 às 21h30 - prometida). Preço com flyer (disponível no local ou no site): CINCO mulher e DEZ homem. Sair em SP por DÉRREAL!! Que beleza!

- Alho no Azeite: fui naquele domingo da matança em SP... Pizzaria na ZN que me surpreendeu. Exemplo acabado da fantástica trilogia "bom, bonito e barato". Local muito agradável, muito boa pizza, R$ 25 por cabeça com couvert, bebida e sobremesa. Justo. O nome vem do tchans da casa, que é uma massinha de pizza sobre a qual o faminto deve depositar o azeite, amassar dentes de alho e um creme de cebola (combinação assustadora mas que não deixa odores posteriores). Ótima.

- Geni: também fui num sábado do mês passado. O nome é referência à Geni da música do Chico Buarque e homenagem às "primas" que povoam a região da Bela Cintra à noite. É um casarão antigo com uma área externa que em tempos de calor deve ser muito legal - naquele sábado era impossível ficar por ali. Há ainda uma "área comum" no andar de baixo onde toca uma banda - na ocasião, uma de "jazz latino", seja lá do que
isso se trate. No andar de cima, cada quarto do casarão virou um ambiente separado para cada "turma". Interessante para fazer festas mais fechadas - tipo amigo secreto, por exemplo. Comi um ravióli de mussarela de búfala - não gostei. Mas a casa é legal.

- Missão Impossível 3: fui ver antes que saísse de cartaz. Interessante a cena inicial, que mostra algo que vai acontecer láááá na frente. Em mim isso funcionou (a expectativa ficou beeem maior), e é ótimo pros que gostam de ler finais de livros para depois saber como se chegou até ali... O filme em geral é aquilo que todos sabem: roteiro legalzinho mas meio sem sentido, muita ação, pirotecnia, cenas forçadas, Tom Cruise imortal, homens e homens metralhando na direção dele e ninguém acertando... essas coisas de sempre. O vilão é o ator que levou o Oscar por "Capote". Enfim: um passatempo deveras divertido!!

- Para terminar, uma menção honrosa: dia 18 passado fomos comemorar o aniversário do meu pai no Outback do Shopping Anália Franco. A comida de lá é excelente, isso eu até já escrevi aqui (Rockhampton Rib Eye... aaaaaahhhhh). Mas o atendimento naquele dia foi inacreditável. Pensamos até que eles tivessem recebido alguma caixinha antecipada ou que tivessem me reconhecido da novela (haha), já que ficamos num local meio isolado e mesmo assim uns seis ou sete garçon ou garçonetes diferentes vinham perguntar se estava tudo OK ou se desejávamos mais alguma coisa. Sentimo-nos totalmente vips...

- Por hoje é isso. E não esqueça que sexta-feira começa a Copa do Mundo...

Places

Nossa, como o tempo voa... Nem tinha percebido que fazia tanto tempo que eu não atualizava isto aqui. Vamos a mais uma seção "Guia de SP":

- Patisserie Douce France: Fica na Alameda Jaú. Fui há umas duas semanas para uma pausa em um sábado à tarde. Tomei um chocolate quente e comi uma tortinha de chocolate que devia ter algum nome afrescalhado em francês. Ainda provei os demais doces da mesa. Só a bebida estava boa; o resto meio "pouco-doce" demais... nem tinha aqueeele gosto de chocolate. Má relação custo-benefício.

- Chácara Santa Cecília: Acabei indo duas vezes, uma à noite e outra para almoçar. Já foi lugar "modinha", mas acho que já passou esse tempo - afinal cheguei perto de 23h30 preparado para pegar fila, mas entrei com muita facilidade. À noite já havia jantado, então só posso julgar o ambiente: é muito legal... amplo, com vááários lugares diferentes - a ponto de eu me perder antes de encontrar quem eu estava procurando. No calor deve ser melhor ainda. Não gostei muito da pista, que é pequena (embora não estivesse lotada), além de a qualidade das músicas ser bastante, digamos, irregular... Preço bastante razoável (20 para homens e dérreal muié é um ótimo preço para SP... embora eles metessem a faca nos preços das porções e bebidas. Mas como não consumi nada...). Fiquei surpreso com o almoço pois achava que lá só abrisse à noite. Boa comida.

- The Hall: Esse foi no dia da Mercearia Adamastor (sobre a qual já falei aqui), mas eu tenho que contar isso. Saindo da Mercearia, minha amiga Kahtia diz que tem uma festa de aniversário no tal do the Hall, na Alameda Lorena, e nos convida. Comboio para lá. Fila. Recepção. Moça: "Boa noite, vocês têm nome na lista?" "Não..." "Ah, então é 65 homem e XX mulher" (nem ouvi quanto...). SESSENTA E CINCO REAIS PARA HOMENS?!?!?! E em SP, com quatrilhões de outros lugares para sair?? Demos meia-volta e fomos embora.

- Fomos ao Rockets, também na Lorena, lanchonete estilo década de 50. Bom sanduíche, bom local (embora um pouco pequeno... sempre que vou lá há alguma fila, mas nada insuportável ou que motive a desistência). Destaque para a possibilidade de escolher as músicas do ambiente. E o site é bem legalzinho também...

- Na sexta, 26/5, voltei ao Hangar 110 após bastante tempo. Motivo: festa para o finado Joey Ramone, que teria feito 55 anos no último 19 de maio. Chamada Joey Ramone Birthday Bash, a festa já ocorre em diversas outras cidades do mundo. O selo Ataque Frontal é quem promove sua versão brasileira. Perdi a primeira banda e não lembro direito da segunda (!!!)... Doped Dog e Ketamina... Ou seria o contrário?? Ah, sei lá. Em seguida vi a nova formação do Kretinos 74, banda de meu amigo Dênis. Bom show. Na seqüência, Eighteen Street (banda com duas moças e um cara e, no final, uma canja do Marcio Faveri, vocalista do Lambrusco Kids) e Reatores (de quem comprei um CD em promoção por 5 reais). Enfim o show que mais me motivou a sair de casa: o Grinders, pela trocentésima vez... Sempre vale a pena, mas esse foi curto (todos foram, pois o Hangar encerra tudo antes da meia-noite) e o público não conhecia muito da banda... Era um pessoal bem jovem, inclusive. E todos pedindo Ramones a cada música de cada banda. Já fui assim um dia... Bom, mas pra encerrar o show e deixar todos felizes, a banda curitibana Magaivers fechou o espetáculo com um set quase INTEIRO de Ramones (cantaram umas duas músicas próprias). Gostei porque eles tocaram bem e selecionaram umas canções diferentes, não aquelas de sempre (Sheena Is A Punk Rocker, Blitzkrieg Bop, Rockaway Beach, Rock'n Roll Radio). Foi isso.

(Quase) Tudo (quase) novo

- Não atualizei este blog na última semana, mas foi porque estava atualizando meu site... A alteração mais radical em muito e muito e muito tempo.

- Muita gente vai se surpreender (ou até se assustar), mas no domingo fui ao show da Marisa Monte. E sabem que eu gostei? Fui porque fui convidado, e também porque eu até acho legais os sambinhas que ela canta - e alguuuuma coisa de MPB... E a voz dela está muito longe de irritar meu ouvido punk rocker (se bem que eu tenho ouvido coisas um pouco diferentes ultimamente).

- O começo foi problemático... Ela começa o show sentada, na escuridão, no centro do palco, e assim segue tocando seu violão por umas 4 ou 5 músicas. Nesse momento a coisa é tão quadradinha, tão, digamos, "asséptica" (ha!) e tão tecnicamente perfeita que em determinado momento eu cheguei a pensar que ela estivesse dublando!! Isso me incomodou um pouco... Mas aí ela se levanta, caminha pelo palco, conversa com a platéia com sua voz rouca (estranho ela ser tão rouca e conseguir cantar de forma tão suave), e assim o show ganha vida. Interessante como a platéia a adora. Ela fala um "Ah", sujeito (ou sujeita) já grita "Linda!". Chamou-nos a atenção também como ela parece cansada entre as músicas. Precisa fazer uma academiazinha, hahaha (ó quem fala).

- Preciso voltar a falar dos lugares aos quais compareci nas últimas semanas (sim, estou "devendo" um monte de coisas).

- Bovinu's: Fui "na faixa", pois era a festa do casamento de duas excelentes pessoas. Muito boa churrascaria! Fica na Rebouças, perto da Henrique Schaumann. Picanha excelente. Muito bom atendimento. Ao que parece não é cara (mas não me dei ao trabalho de confirmar). Aprovadíssima.

- Casa do Espeto: uma das trilhares de casas de espeto que vêm sendo abertas na cidade. A entrada é discreta, o lugar parece pequeno, mas perguntei pela aniversariante quando cheguei e obtive como resposta: "Ela está lá no fundo." Fui caminhando, caminhando, caminhaaaaando... caminhei um bocado até encontrar "o fundo". Mas o lugar é bom, a carne é boa e eles têm televisão com pay-per-view do Campeonato Brasileiro. Interessante.

- Saint Patrick Pub: Fui pela terceira vez, mas não lembro se escrevi sobre o lugar neste blog. Um ambiente quase lounge na entrada (hahaha)... sofazinhos e coisa e tal, além de um telão. No ambiente maior (aliás, muito maior) ficam uma pista de dança e o palco, e sob este um balcão com apresentações diversas no decorrer da noite (moças fazendo performances em músicas da banda, ou então um cara cuspindo fogo). Há ainda um terceiro ambiente em um andar superior, praticamente sobre a banda. Nesse dia tocou a banda Almanak (rock), e nos intervalos sessões de tecno. Interessante.

- Na quarta da semana retrasada fui novamente ao Taberna Sherwood para ver futebol. Desta vez, Estudiantes 1x0 São Paulo. Um torcedor de um clube não envolvido no embate encheu tanto a paciência com manifestações desagradáveis que chegou-se até a concluir que o que faz a diferença pra pessoa não se envolver em uma briga é sua capacidade de conseguir ou não se segurar. Passamos no teste. Ah, comemos porções de pasteizinhos e provolone à milanesa. O lugar é mesmo legal para ver jogo, mas não deu muita sorte não...

- Pra hoje tá bom. Vejam o site lá, por favor... Inté!

Histeria das Massas

E ontem, hein? Que absurdo... Incrível como o pânico se instaurou de uma forma praticamente irracional. Após ouvir boatos de que haviam metralhado o Mackenzie, a São Francisco e a Estação Paraíso do Metrô (entre outros, além de várias ameaças de bomba em vários locais diferentes), recebi e-mails e telefonemas de várias pessoas precupadas perguntando: "E aí, o que está acontecendo no Centro?", ao que eu respondia: "Olha, pelo que consigo ver, não está acontecendo nada...".

Em seguida, enquanto ouvia o Secretário de Segurança dizendo nas rádios que não entendia o pânico no "dia mais tranqüilo desde sexta-feira", novas ligações e e-mails (vááários) propagavam que a Polícia recomendava um "toque de recolher às 20h". Pelo desencontro de informações, na hora já saquei que ou a cobertura da mídia (no meu caso, UOL e Jovem Pan) estava uma porcaria ou todos estavam começando a surtar.

Mas estranha mesmo foi a saída do trabalho. Dispensado às 16h15, peguei muito trânsito mas nem demorei tanto para chegar em casa (conheço gente que demorou até 3h30 para voltar a seu lar...). Mas via as pessoas na rua caminhando em silêncio, de uma forma que lembrava aqueles filmes em que as pessoas aguardam o Final dos Tempos percorrendo em silêncio o caminho até seu Abrigo Nuclear... Impressionante.

Tudo bem, concordo que a coisa é contagiante... confesso por exemplo que fiquei meio assim quando o quarteirão inteiro ficou sem luz exatamente à meia-noite... E concordo também que é o tipo de coisa que não é o caso de pagar para ver... Mas pelos acontecimentos reais tanta paranóia só se justificaria para policiais, bombeiros e ônibus . A "indústria do medo" (imprensa e boateiros da internet, em particular) deve ter tido orgasmos.

- Amanhã escrevo novamente para falar sobre alguns fatos e lugares, voltando à programação normal...

PS: O assunto do tópico é uma homenagem à música Mass Hysteria, do Social Distortion.

Shows e vídeos

- No último dia 29 (sábado) assisti ao show da banda Echo And The Bunnymen. Sensacional!! Muito mais do que eu imaginava!! Porque eu gosto do que conhecia da banda, mas conhecia muito pouco... É legal o clima do show. Um estilo "agridoce", como li em algum lugar, com melodias leves levadas com força e peso... e aquele ambiente meio soturno, os caras todos de preto, aquela fumaceira, ele sem muito "nhé-nhé-nhé" falando só o básico com a platéia. Não estava lotado, então foi bem tranqüilo para entrar e para assistir na pista. Aqui dá pra baixar uma coletânea excelente da banda; aqui dá pra baixar o álbum novo ("Siberia"); aqui há a reportagem completa do UOL sobre o show.

- A nova onda agora é o Youtube, site para hospedagem de vídeos. Ainda não o explorei o suficiente para eu mesmo colocar os vídeos, mas já vi vários que achei bem legais. É bom que já dá pra assistir enquanto eles estão sendo baixados... Recomendo o da banda punk japonesa Cobra (vale no final a incrível explicação sobre punk e oi) cantando "Oi oi oi", o da mesa-redonda em que Eurico Miranda discute com Márcio Guedes e Datena, o da mesa-redonda em que o apresentador Paulo Soares se irrita e abandona o programa e uma série de jogadas inacreditáveis de Ronaldinho Gaúcho (destaque para a série de chapéus e a "matada nas costas").

- Quarta da semana passada assisti a São Paulo 2x1 Palmeiras no Taberna Sherwood, na ZN. Lugar muito legal para ver futebol... não estava cheio (disseram que lota às quintas e finais de semana) e o telão é muito grande. Pediram que eu não ficasse com a camisa do SP para evitar problemas. Ótimas porções de bolinho de queijo e filé à parmegiana (sim, em porção!).

- Já no sábado fui à Mercearia Adamastor, perto da Avenida Sumaré. Também tem telão e vários monitores. Pedimos porções de frango com molho de shiitake (?!) e queijo brie ao cubo (!!). Excelentes! Ambiente muito agradável. Recomendado.

- Na semana passada, vi a jogadora grávida da seleção de vôlei feminino Paula Pequeno,
melhor jogadora do Grand Prix (a Liga Mundial Feminina) do
ano passado
. Nem tive certeza de que era ela na hora, mas como sabia que ela estava grávida e no momento ela estava com uma blusa escrita "Finasa Osasco", foi fácil confirmar depois no Google que era ela sim. Para quem não a conhece, ela está aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui, aqui e aqui.

- É isso.

Firme e Futebor

- Tô morrendo de medo do jogo de hoje (SP x Parmera no Parque Antártica). Porque todos dão um favoritismo para o SP muito maior do que a realidade mostra. O Flávio Prado, por exemplo, disse ontem no rádio que a chance do Palmeiras é de 0% e que o SP deve vencer as duas partidas de goleada (!?!). Não é assim que funciona... Quinta passada, aliás, fui ao Morumbi ver SP x Caracas. A torcida num desespero inútil porque o gol não saía, enquanto eu ficava com um papelzinho fazendo contas e duvidando se seria uma boa o SP vencer. Tivesse empatado aquele jogo, o SP jogaria contra o Nacional de Medellín. O mesmo que ontem tomou de 4x0 da LDU...

- Vi mais quatro filmes nas duas últimas semanas. O Plano Perfeito é o mais famoso, creio eu... Filme do Spike Lee. Interessante, prende a atenção, tem coisas muito sutis e idéias bem sacadas... Mas sei lá, faltaram algumas coisas. E uma delas, tenho que admitir... foi eu entender o final...

- Boleiros 2 - Vencedores e Vencidos foi um pouco decepcionante... sei lá, filme de futebol normalmente não é muito bom. Talvez por nunca ser tão intenso quanto um jogo legítimo. As situações, de qualquer forma, não foram muito engraçadas... no máximo sorri umas 2 ou 3 vezes. O primeiro foi melhor - e eu já não tinha achado dos melhores.

- A Lula e a Baleia... filme meio alternativo. Gosto da Laura Linney - a atriz principal - , pois assisti a uns outros dois filmes legais com ela no ano passado. A história é meio bizarra e o final meio nada a ver, mas no geral achei legal.

- Por fim, um filme do Almodóvar chamado Que Fiz Eu Para Merecer Isto?, escrito e dirigido em 1984. Personagens bizarros, roteiro bizarro, tudo bizarro. Mas engraçado.  

- É isso.

Libertas quae sera tamen

- Além de borocoxô e meio de saco cheio, também fiquei triste esta semana.

- Lembrei de outra coisa boa da semana passada: na quarta 12 revi um grande amigo em um almoço que fiz com minha turma antiga da GV (pra quem não sabe, eu fiz um ano de GV, tranquei quando servi Exército e voltei em outra turma no ano seguinte). E por uma enorme coincidência: ele havia descoberto meio por acaso que trabalhava com dos caras que estudou comigo no primeiro ano (o Pira). Ficou sabendo que essa turma faria o tal almoço e foi junto. Foi muito legal revê-lo, após cerca de QUINZE anos. Um abraço para o Marcus Vinícius. Acho que é o primeiro amigo que reencontro após tanto tempo sem a ajuda do Orkut... Ah, o almoço foi no Ráscal do Iguatemi. Comida boa, mas cara e em um shopping que eu odeio!

- Na quinta 13 fui ao Coppola Music Bar. Comemoração do aniversário da Massae. Foi a segunda vez que fui lá... Na primeira tocou uma banda de pop/roc,; o público tinha entre 20 e 25 anos e os intervalos traziam disco e anos 80. Desta vez, um público um pouco mais velho e um telão com aqueles insuportáveis raps norte-americanos (sempre a mesma estrutura: mulheres vistosas e rebolativas que cantam "berrando", revezando com aqueles vocais rappers dos quais eu definitivamente não gosto). O show ao menos prometia: o conhecido Funk Como Le Gusta, tradicional da noite paulistana mas que eu nunca havia ouvido. Chegamos MUITO cedo, pois informações davam conta de que o negócio abria às 21h... mas abriu às 22h, e mesmo assim não conseguimos pegar mesa! Todas reservadas... Pedi uma porção de filé aperitivo ao molho madeira. Não gostei muito.... a carne era boa, mas era tanto molho que parecia uma sopa. Por volta de uma da manhã, o local estava MUITO lotado. Quanto ao show, embora não seja meu tipo de música preferida, tenho que admitir que a banda é muito competente no que faz. Até fiquei com uma vontadezinha de comprar o CD...

- Na sexta 14 fui ao Piola Vilaboim para, além de comer uma de suas ótimas e leves pizzas, trocar um vale-camiseta que ganhei mês passado por conta de meu aniversário. Só que a camiseta não era bonita como a que peguei ano passado (preta)... passei pra frente, já  . Em seguida, fui ao Aldeia da Villa, na Zona Norte. Lugar simpático, banda de pop-rock interessante, bom pra sentar e conversar. Não comi nada.

- Chegamos a 8.000 visitas neste blog desde janeiro do ano passado (uns 15 meses). Obrigado a você, e continue deixando sempre seu comentário... Beijos e abraços a todos.

- É isso.

Pílulas

Ando meio borocoxô desde a semana retrasada (ela é tema deste post, aliás), com uma coleção de pequenas frustrações. A passada (tema do próximo post, que sairá amanhã ou depois) até que foi bem melhor, mas ainda estou meio assim... Assim sei lá como e nem porquê. Mas vamos voltar a atualizar este negócio que é o que interessa:

- Voltei a responder aos comentários deixados neste blog. Espero que isso estimule você a deixar um recado, uma opinião ou qualquer outra coisa. Aos que têm deixado, meu "Muito obrigado" sempre...

- Estou estudando a mudança das cores das letras deste blog. Há muita gente reclamando dos links ilegíveis... Sábado vi um filme com legendas brancas sobre fundo branco e isso potencializou a observação, que não sai mais da minha cabeça. Ah, em breve também muitas novidades no site - pelo menos em matéria de fotos...

- Na quarta-feira dia 5 fui ver São Paulo x Chivas Guadalajara. Partida medonha do São Paulo - principalmente no 2° tempo, quando o SP não chutou uma bola a gol. Faltei a uma aula do incrível zouk por causa dessa maldita partida. E foi o segundo jogo do SP seguido a que eu vou e volto decepcionado (o anterior foi São Paulo 1x1 Noroeste). Pra completar, o Santos venceu (com justiça, diga-se) o campeonato paulista. Paciência.

- Na sexta-feira 7 fui ao cinema ver Irma Vap - O Retorno. Razoável... não assisti à peça quando esteve em cartaz. E eu estava tão cansado que confesso que dormi no final... então nem sei se minha opinião pode ser levada em conta. 

- No sábado 8, levei DUAS HORAS E MEIA para chegar a um churrasco de aniversário em SÃO CAETANO DO SUL!!! Sábado à tarde!! Maldita Avenida do Estado!!!

- Pena que tive que ir embora antes do bolo para viajar a Atibaia e acompanhar o Campari Rock. Chegamos em menos de uma hora ao Hotel Fazenda onde o show aconteceu. Legalzinho o lugar... pouca gente (falou-se em 5.000 pessoas), fácil acesso. Chegamos no meio da Nação Zumbi. Assistimos ao Ira!... Achei que a banda tentou fazer um show "alternativo", devido ao tipo de público presente. Algumas músicas longas, mais pesadas e até com fortes doses de eletrônica. Muitos hits NÃO foram cantados! Mas no geral gostei.

- O único momento de chuva foi no intervalo entre o Ira! e o Supergrass, banda da qual conheço muito pouca coisa. O show desta começou interessante, mas no meio uma seqüência quebrou todo o ritmo: a banda saiu do palco, ficando somente o vocalista... Longas músicas chatíssimas no violão e depois em um teclado. Medonho. Depois, quando a banda retornou e se recuperava com ótimas músicas, a notícia estranha: meu irmão manda um torpedo dizendo que todos estavam na barraquinha de pizza porque queriam ir embora. Fomos.

- Voltamos para o carro e, após difícil manobra na grama e lama, ouvimos um estrondo. Todos se entreolharam sem entender nada, até que meu irmão notou que o vidro a seu lado estava totalmente estilhaçado! Parecia uma folha de cacos segura pelo Insufilm. Bizarro. Fotos aqui e aqui.

- E foi isso. Ah, de bom meeeeesmo naquela semana só a notícia de que eu serei TIO! Parabéns, Lilly e Marco!!

ELENCO: Alessandra, Ricardo, Ana, Lu, Marcelão, Selma, Thiago, Larissa, Thiago (outro), Ju, Nanini, Latorraca, Nazi, Scandurra, Murilo, Letícia, Marco e Cris.

O Melhor - Parte 1

- Continuando a sessão "lugares": no sábado à tarde, após visitar bem de leve o Arte da Vila, fui com duas turmas de amigos diferentes (mas não ao mesmo tempo) ao José Menino Botequim & Frutos do Mar. Antes, um momento surreal: havíamos marcado às 14h no Posto 6, do outro lado da rua. No entanto, havia uma feira na Mourato Coelho e o lugar ainda não estava aberto - o que aconteceria meia hora depois. Fizemos menção de sentar nas mesinhas que estavam na calçada, mas um garçom próximo disse: "Não, não, não... não pode sentar não... Abre só 14h30! Assim ceis quebram a gente!...". Foi isso ou algo do tipo. Resultado: só de raiva mudamos para o José Menino, na outra esquina! (apesar de o dono ser o mesmo...). Embora, por homenagear a cidade de Santos, o bar tivesse milhões de referências a Pelé e ao Santos FC (não tenho quase nada contra o Santos, exceto na véspera de uma quase-decisão entre o SP e a equipe praiana), é um lugar muito bom. Mesinhas na calçada sempre fazem bem... Comi uma porção de picanha na chapa com farofa e cebola. Ótima (apesar da chapa vir trincando de quente, promovendo uma grande chuva de gordura nos arredores).

- No dia seguinte, à noite, fui a um aniversário no Grazie a Dio, na Vila Madalena. Sempre me falavam desse lugar, e por isso eu sempre tive alguma curiosidade de conhecê-lo. De fato é bem interessante - pelo menos em domingos como esse, onde o tema foi samba-rock, com a banda Sambasonics. Todos acharam interessante que a (nova) vocalista é oriental... foi inevitável lembrar do mestre-sala japonês da Império da Casa Verde, campeã do último carnaval paulistano. E a banda manda bem, mesmo... A cozinha também havia sido elogiada e, para comprovar, pedi um excelente escalopinho de filé mignon com ravióli de queijo de cabra... muito, muito bom. Agora, o lance lá é dançar.... pena que samba-rock saia da minha área de atuação (e é difícil....), mas até que deu pra arriscar uns passinhos de leve.

- Mas o destaque do final de semana fica mesmo para o domingo à tarde. Descobri que a taça de um campeonato é somente um símbolo e não necessariamente traduz o que de fato importa. Se algo miraculoso acontecer no próximo domingo e o São Paulo for bicampeão paulista, ela mostrará apenas o que eu já sei, e que pra mim já basta: que o São Paulo é o melhor time deste e neste campeonato. Se nada de anormal acontecer, o SP não será o time de melhor campanha ou o melhor neste campeonato... mas continuará sim sendo o maior, pois venceu - e jogando MUITO bem - todos os grandes clássicos. Aliás é inacreditável a mudança de postura do time em jogos que realmente interessam... A mala Luxemburgo teve que engolir. E, melhor, ninguém de fora comemorou o título contra nós na nossa casa. Por esse jogo, pelo 4x2 contra o Palmeiras e pelo 2x1 contra o Corinthians, já me sinto satisfeito.

- Mas claro que já estou deixando crescer um bigodão bem estereotipado de português para o próximo final de semana...

Preguiça

- Confesso que estou meio com preguiça de escrever. Tenho trabalhado MUITO e em casa à noite fico vendo coisas aleatórias, sem vontade de inserir idéias organizadas em lugar nenhum. Mas como atualizar é preciso, vou fazer poucas e rápidas observações.

- Final de semana passado eu assisti ao filme Crash, grande vencedor do Oscar deste ano. No começo fiquei meio desconfiado, achando que seria mais um filme cheio de lugares comuns sobre racismo... e que o prêmio tinha sido mais para fazer média. Mas com o tempo as tramas paralelas vão se desenvolvendo e vai dando pra ver que é muito mais do que isso... e quando tudo se fecha no final dá pra concluir facilmente que Crash, com suas tensões raciais, é INFINITAMENTE SUPERIOR ao chatíssimo filme dos caubóis viados!! Justiça!

- E ninguém (ou eu diria até "nada") é 100% ruim ou 100% bom. Pois é.

- Ficaram faltando algumas coisas sobre o final de semana retrasado, quando fui a dois lugares - um diferente e outro interessante. Na sexta 10 de março fui ao Tres Tapas & Pinchos. O lugar é simpático e eu nem sei explicar direito o que são os tais tapas e pinchos ou qual a diferença entre eles... mas são quitutes, aperitivos, acepipes típicos da cozinha espanhola. É um lugar legal para encontrar amigos, mas não dá pra ir com muuuuuita fome...

- No dia seguinte fui à Companhia Cervejaria Imperial, em Moema. Sábado à tarde... dia de feijoada, mas com pratos à la carte. Um local com teto retrátil (em dias calorosos e de céu azul como aquele isso é ótimo), um pessoal tocando chorinho em outro ambiente. Achei o lugar bastante agradável. Eu voltaria.

- Por hoje é só, pessoal.

Happy Birthday To Me

Semana passada, muitos devem se recordar, foi a semana do meu aniversário. E, nela, muitas comemorações... afinal de contas, isso é a única coisa que presta em aniversários a esta altura da vida!

- Na terça-feira 14 (O dia correto), a primeira comemoração: com o pessoal do trabalho, no bom Expresso São Paulo. Eu e mais oito pessoas... À noite, abri mão da dança de salão para ir com minha família à excelente lanchonete Mr. Mill's - eu e mais quatro pessoas. Na ida, momento surreal: num farol, uma viatura da CET parou a nosso lado. Olhamos meio desconfiados, e a moça que dirigia o auto: "O Centro é pra lá ou pra lá??" Hein?!?!? Após segundos de surpresa, dei a ela uma resposta - correta, diga-se. Mas dar INDICAÇÃO sobre o CENTRO de SP para a FUNCIONÁRIA DA CET é algo de bizarro.

- Na quarta, comecei a fazer aula de um novo ritmo: zouk... Complexo, pois é bem diferente dos outros ritmos que eu aprendo às terças-feiras. Voltarei ao assunto oportunamente.

- Na quinta 16, a terceira comemoração: fui à Pizzaria Margherita, nos Jardins. Pizza muito boa. Depois passamos no Café Suplicy, onde comi uma ótima torta mousse de chocolate - eu e mais quatro pessoas que não estavam na terça.

- Na sexta, a comemoração mais balada de todas: fomos ao Stones Music Bar, na Vila Prudente (eu e mais 11 pessoas... que não estavam nos eventos anteriores!). Fora do circuito Itaim-Pinheiros-Vila Madá-Moema-Jardins, fiquei muito surpreso com o local - que é gigantesco, lembrando bastante os lugares que têm sido inaugurados na Zona Norte. São dois ambientes: no primeiro, MUITO bonito (semi-aberto e com espelhos d'água), um sujeito toca violão das 20h até umas 22 e pouco. O outro ambiente é muito mais, digamos, barulhento... pelo público e, claro, porque lá toca uma banda de rock. Sexta foi a ótima banda Almanak. Comi uma porção de iscas de frango à milanesa que estava um espetáculo.

- No sábado, a quinta comemoração foi no Mercedes Bar, em Moema. Também é legal, embora o pessoal estivesse um pouco cansado (eu, inclusive, pois tinha ido à porcaria do jogo do SP em uma tarde bastante cansativa e estressante)... Além disso, a gente acabou pegando uma mesa um pouco longe do burburinho, o que também prejudicou um pouquinho. Mas o lugar parece BEEEEEEEM diferente do que aparece no site (que mostra um ambiente sóbrio, além de fazer referência a um tal "Clube do Whisky") e dos comentários que tinha ouvido antes (minha amiga Cris, por exemplo, tinha dito que foi lá há um tempo e que tinha achado o local "morto")... Provavelmente mudou MUITO (ou pelo menos muda MUITO nos momentos balada). O público é bem mais jovem do que eu imaginava, provavelmente atraído pela pista de dança recém-inaugurada (e que em alguns momentos fica superlotada)... Fomos embora (eu e mais sete pessoas, três que estavam no Stones) cerca de duas da manhã. Gostei de lá e voltaria novamente.

- No domingo à tarde, a sexta comemoração: eu e cinco pessoas (que não estavam nos eventos anteriores!) fomos ao El Tranvía, churrascaria uruguaia em Santa Cecília, Centro de SP. Outro local muito bonito - inclusive com exposição de telas. Pelo que entendi, o forte desse tipo de comida é a parrillada, feita com miúdos do boi... Ninguém se arriscou, e todos foram de bife de chorizo. O meu estava SENSACIONAL - embora um pouco menor do que minhas necessidades nessas horas... mas nada que uma sobremesa não resolva.

- No domingo à noite, finalmente, a sétima e última comemoração: na Pizzaria Piarello, em Perdizes, onde eu já havia ido umas 2 ou 3 vezes. Estávamos eu e mais 6 pessoas que não estavam nas outras comemorações! É ótima a pizza de lá, e o ambiente é bem tranqüilo.

É isso!! Há outros lugares que eu fui na semana retrasada mas não coloquei aqui... esses ficam para o próximo post. Ah, e claro, agradeço aos 42 amigos que compartilharam essa última semana comigo!! Valeu!!

Quase trinta...

- Acabou de acabar o dia de meu aniversário. Desde ontem posso usar o artifício que minha amiga Lu me ensinou: "Maurício, quantos anos você tem?" "QUASE trinta..." Sim, pois 31 é quase 30. Não é?

- Agradeço a todos que se manifestaram de alguma forma. A maioria absoluta via scraps no Orkut (e vivas a ele, que nos ajuda a lembrar de datas com muuuuita facilidade!)... Recebi cerca de UMA CENTENA de mensagens!! Impressionante. Agradecimentos ainda mais especiais aos que telefonaram, bem como aos que lembraram antes, e às pessoas nem tão próximas que mesmo assim se deram ao trabalho de me cumprimentar. Valeu!! Tentarei responder a todos, mas creio que isso levará um tempo....

- Acho que vou lançar um concurso. Depois da dança de salão, de Tóquio e do desfile na X-9 (todos muito bem sucedidos, diga-se), qual poderia ser minha próxima invencionice??

- Demorei para atualizar isto aqui, mas não estava ocioso na internet: quem for ao site deve achar muitas fotos e material diferente espalhados por ali, pois é isso que eu tenho feito ultimamente.

- Fui!!

Cinema, Literatura e Carnaval

- Volto novamente depois de mais um longo jejum de posts - desta vez motivado pelo tempo e trabalho demandado pelas quase-reportagens sobre o carnaval paulistano. Quem não leu, leia .

- Desde o ano passado, tento retomar o hábito de leitura. Tento dedicar pelo menos alguns preciosos minutos diários para isso... Li O Código da Vinci e Fortaleza Digital. O primeiro é muito bom; o segundo nem tanto, principalmente pelo final ridículo (uma penca de sabichões tentando descobrir algo que eu já tinha sacado várias páginas antes). É até legalzinho, mas a fórmula já começa a cansar: um casal, uma criptógrafa, um mistério, uma morte no primeiro capítulo... e já me disseram que os outros livros do Dan Brown também são assim.

- Li também Quando Nietzsche Chorou. Bem legal... Vi que estreará uma peça sobre ele daqui a algumas semanas no Credicard Hall. Não sei, mas como peça esse texto tem tudo para ser chato. Veremos. Ah, li também A Eterna Privação do Zagueiro Absoluto - coletânea de contos de Luis Fernando Veríssimo sobre três temas que eu nem gosto muito: literatura, cinema e futebol... E estou terminando agora Coração Envenenado - Minha Vida com os Ramones, autobiografia do ex-baixista da banda, Dee Dee Ramone. O livro é bem interessante, mas fala menos de Ramones do que o título faz supor. Trata muito mais de como Dee Dee era um sobrevivente do mundo das drogas. O livro mescla passagens que vão do curioso e engraçado ao angustiante, mas ainda não sei onde terminará - pois após alguns anos "limpo", Dee Dee morreria justamente de overdose. Triste.

- Quanto a filmes, andei assistindo a vários. Segue um ranking parcial dos filmes que vi este ano. E neste link está tudo o que eu achei dos últimos filmes a que assisti: 1) Match Point e Fora de Rumo; 3) E Se Fosse Verdade; 4) Johnny e June; 5) As Loucuras de Dick e Jane; 6) Orgulho e Preconceito; 7) Se Eu Fosse Você; 8) Tudo Em Família; 9) Dizem Por Aí; 10) O Segredo De Brokeback Mountain; 11) Boa Noite e Boa Sorte e 12) Quem Somos Nós?.

Clima de Folia

(ê, título chavão...)

Pra quem ainda não sabe, farei neste próximo carnaval minha estréia na avenida. Sim! Eu, um amante do punk rock, viajando no tempo e às minhas origens musicais, volto a ouvir sambas de enredo e, pela primeira vez, sairei em uma ESCOLA DE SAMBA!!

Muitos não sabem, mas anos atrás eu tinha três desejos bizarros: 1) Participar de uma São Silvestre; 2) Participar do Topa Tudo Por Dinheiro; 3) Sair em uma escola de samba.

Minha prima Rachel (que já desfila há uns sete carnavais) me convidou para participar do desfile da X-9 Paulistana deste ano. Com o convite, veio enfim a grande chance de resolver um daqueles desejos. Fui a dois ensaios na semana passada e já entrei no clima.

A ala da escola é a ALA U.P.A. (Unidos Por Acaso), e eu já estou com a fantasia em casa. Esta é uma foto da dita cuja... não riam (por me imaginar dentro dela...)... NÃO RIAM!!!!! Mas assistam-me! Quero ver todos acordados de sábado pra domingo, por volta das 5h40 da manhã!! ô-ô-ô-ô-ô-ô-ô. Aproveitem para decorar a letra e aprender a música.

Ah, não bastasse isso, ainda devo assistir ao primeiro dia de apresentações. Voltarei ao fuso horário de Tóquio... vamos ver em que estado chegarei ao domingo, pois ainda vou viajar no resto do feriado!!

É isso.

[ Veja as Mensagens Anteriores !!! ]



Meu Perfil
Brasil, São Paulo, Mooca.
Música, Comida, Esportes e Cinema.

O que é isto?
Visitante número: